Escreva um Plano de Negócios para seus investidores

Imagine que Daniel ame gatos. Mas, como todo dono de gatos, ele odeia trocar a areia da caixinha. Então ele teve a brilhante ideia de uma caixinha de areia autolimpante.

Ele mostrou para alguns amigos, fez uns testes e está super empolgado. Ele até chamou a startup de ‘Gato Cheiroso’. Agora só falta achar quem banque o projeto.

Como Daniel devia abordar os possíveis investidores?

Organizar as ideias num documento detalhado, explicando o que é a empresa e como ele vai lucrar com ela. Assim ele pode mostrar seu projeto para quem tiver disposto a ajudar.

Começar a pedir ajuda por e-mail, onde ele rascunha o que acha que é a empresa dele.

Daniel deve organizar suas ideias num documento detalhado, chamada de plano de negócios. Lá, ele explica tudo sobre a startup e como lucrar com ela. Startups podem usar planos de negócios para apresentar suas ideias para investidores e mostrar por que vale a pena investir nelas.

Um plano de negócios pode te ajudar a organizar as ideias, entender como a empresa funciona e como vai lucrar com ela.

Também te ajuda a comunicar as ideias e ter certeza de que você e seus sócios estejam sintonizados. Um plano de negócios é especialmente importante para startups, para apresentar a empresa aos investidores.

Quando você organiza as ideias e entende como vai lucrar com a startup, os possíveis investidores percebem o quanto você é sério e podem até se convencer a financiar sua empresa.

Mas como fazer um plano de negócios? Comece fazendo brainstorming e anotando todas as ideias.

Se você trabalha sozinho, como o Daniel da caixinha de areia autolimpante, organizar seus pensamentos te ajuda a esclarecer o que é e como sua startup funciona.

Já se você tiver sócios, cada membro pode ter uma ideia diferente do que a startup deveria ser e a qual caminho ela deve levar. Tente entender o que motiva cada um deles.

Talvez eles sejam apaixonados pelo lado social do projeto (amar gatos), ou eles estejam envolvidos para tentar fazer alguma coisa nova, ou até tenham entrado só pela grana.

Qualquer uma das respostas é boa, mas é legal que todos entendam e respeitem as razões de cada um. Assim, você atende às expectativas de todo mundo e cada sócio fica dentro de como a empresa funciona.

Em ambos os casos (trabalhar sozinho ou em equipe), ter um plano de negócios facilita para mostrar as ideias para outras pessoas, tipo investidores e até seus próprios funcionários.

Depois de brainstorming, é hora de pôr a mão na massa. Não sabe o que colocar num plano de negócio? Ué, bota tudo o que for essencial sobre a startup.

Vamos começar com as coisas fáceis. Lembra do Gato Cheiroso de Daniel? Qual é o produto ou serviço dele? Caixas de areia para gatos. Quem são os concorrentes dele? outras empresas de caixas de areia para gatos.

Aí você vai detalhando: ele vai construir as caixas de areia ele mesmo ou vai mandar fazer? Quais ferramentas e matérias primas ele vai usar?

O Daniel também devia falar de marketing: como ele vai vender as caixas, na internet ou em lojas físicas? Quem é o público-alvo? Qual é a estratégia de vendas, como ele vai entregar as caixas de areia?

Também fale da empresa, quem faz parte da equipe. O Daniel trabalha sozinho no Gato Cheiroso, então ele só escreve sobre si mesmo e sua própria experiência profissional.

E se ele tivesse sócios? Ele precisaria escrever quais benefícios cada um acrescenta na empresa. O tipo de habilidades que eles têm. Como eles se complementam.

Tipo assim: um desenvolvedor de software e um veterinário colaborando para criar um app de alimentar gatos. Ou um pesquisador e um redator que criem conteúdo juntos.

O mais importante é escrever sobre como ganhar dinheiro. É uma boa falar com um contador ou um mentor administrativo que te ajude com os números.

Faça um planejamento financeiro. Quanto dinheiro você vai precisar para começar? Vai precisar cobrir seus gastos para desenvolver protótipos, pagar programadores ou comprar matéria prima?

Faça as contas de quanto você precisa para se manter por um ano. Vai pagar aluguel, salários, contas e o que mais?

Também veja quanto tempo vai levar até você começar a lucrar. Quanto você vai ter que vender? Faça projeções mensais e trimestrais, dependendo das tendências do mercado.

Pode ser uma boa usar gráficos e imagens para ajudar seus investidores a entenderem suas finanças. Você também pode usar um Business Model Canvas (BMC) no começo. Um BMC te ajuda a organizar os lucros da sua startup de um jeito bem visual.

Você pode reescrever seu plano de negócios - variar tamanho, detalhes e conteúdo - dependendo de quem for ler, tipo sócios, funcionários, clientes ou investidores.

Seja breve. Seu plano de negócios deve ser de fácil acesso, então nada de enrolação.

O plano de negócio não precisa ser todo chique. Se você só estiver escrevendo para se organizar e entender as próprias ideias, dá até para anotar tudo em uma única folha de papel.

Porém, se for para mostrar para mais gente - tipo um investidor - é legal deixar o mais completo possível.

Vamos fazer agora? Um plano de negócios parece difícil no começo, mas na real é bem simples. Agora vamos te ajudar a começar a explicar sua startup para um possível investidor.

Qual o nome da sua startup?

Descreva seu produto ou serviço.

Quem é seu público-alvo?

O que seu produto ajuda seu público-alvo a fazer?

Sua startup pertence a que mercado?

Quais são 2 adjetivos que descrevem seu produto?

Aqui está a descrição padrão da empresa de Daniel: Gato Cheiroso vende caixas de areia autolimpantes que ajuda donos de gatos a evitar caixas de areia nojentas. Vai se destacar no mercado de cuidados animais porque é prático e revolucionário.

Incrível não?

Para mais informações, acesse nossa página no facebook.