Primeiros passos em Arquitetura da informação

Olhando de fora, arquitetura da informação (AI) pode intimidar. Mas vamos vê-la sob outra perspectiva.

Imagine que você está desempacotando as compras do supermercado na sua cozinha. Você pretende guardar as coisas de uma forma organizada. Você colocaria o frango na geladeira, guardaria o pão na dispensa e as frutas na fruteira.

Agora, imagine que você está separando esses mesmos produtos em um supermercado. Onde você colocaria esses produtos para que os consumidores pudessem achá-los facilmente?

Os vinhos ficariam no corredor das bebidas, as bananas na área das frutas, o frango no seção das carnes. Esse tipo de organização é uma forma de arquitetura da informação.

Pense em AI como uma forma de organizar a informação em locais como seu site ou a intranet da sua empresa com o objetivo de ajudar nas metas da empresa como um todo.

Vamos esclarecer o que queremos dizer com “informação” por um momento. Não é a mesma coisa que conteúdo ou dado. Em vez disso, é aquilo que as pessoas extraem dos conteúdos e dos dados.

Por exemplo, imagina que você está no site de um restaurante italiano. A página descreve as pizzas gourmet e mostra a imagem de uma delas com queijo de cabra fermentado e cobertura de fígado de pato.

Nessa situação, o conteúdo é a foto e o texto que descreve a pizza. O dado é a análise disso, ou seja, esse restaurante serve pizzas gourmet.

Tanto o conteúdo quanto o dado oferecem informação. No exemplo, você sabe que o restaurante serve apenas pizzas gourmet e pediria a fim de comer uma simples pizza de calabresa, por exemplo.

Mas essa informação é subjetiva. Outra pessoa pode achar, por exemplo, que o restaurante não serve massa, apenas pizza. Se eu quisesse comer uma lasanha, seria melhor procurar outro estabelecimento.

Agora imagine que o restaurante na verdade serve pizza de calabresa e lasanha. Uma vez que as informações não deram a entender isso, o restaurante simplesmente perdeu dois novos clientes.

Vamos olhar com mais atenção por que a AI é importante para o marketing do seu negócio.

Ao fazer o marketing, você apresenta ao cliente em potencial conteúdo como mensagens, fatos, imagens, desenhos e anúncios. Isso dá a eles informação sobre a identidade da sua marca, como você se diferencia dos concorrentes e quais são os seus benefícios.

Com o uso da AI, você pode ter certeza de que os clientes em potencial interpretam essas informações da maneira que você quer, ou seja, de um modo que favoreça o seu negócio.

Ao organizar seu conteúdo e dados de certa forma, você pode mostrar as informações certas às pessoas certas.

Muitos negócios contratam especialistas em AI ou agências externas para ajudá-los. Mesmo que você faça isso também, convém conhecer algumas coisas.

Você deve começar procurando os problemas com a sua estrutura atual de AI. Que informações o seu público-alvo consegue extrair das atividades de marketing? Condiz com suas intenções? Você está apresentando e descrevendo seu produto de uma forma contraditória aos seus valores?

Uma vez que você descobriu o que precisa ser alterado, deixe claro o objetivo de AI para ajudar no seu negócio. Por exemplo: “Eu quero vender câmeras descoladas e fáceis de usar para fotógrafos casuais e amadores.”

Não se esqueça de checar a sua linguagem. Como você irá traduzir a mensagem para a sua audiência? “Descolado” significa a mesma coisa para eles que para você? Cuidado com palavras que expressam ambiguidade.

Certifique-se de que todos os envolvidos com o seu negócio - com o marketing - conhecem a linguagem que você escolheu. Você deve criar uma lista extensa de palavras relacionadas capazes de guiar o caminho da sua nova AI.

O último passo é escolher que métricas você irá usar para medir o sucesso da sua nova AI. E lembre-se: mesmo a melhor estratégia de AI precisa ser continuamente atualizada ao longo do tempo. Faça revisões periódicas para mantê-la relevante e conectado com as necessidades do seu público-alvo.

Para mais informações, acesse nossa página no facebook.